Pragmatic Demo Sbobet Wap Sbobet Sbobet Mobile Login Sbobet Situs Sbobet Indonesia

Deputados estaduais desejam aprimorar processos de licenças ambientais no Amazonas

As proposituras constam na Pauta de Tramitação Ordinária, desta quinta-feira (9), na Aleam.

Portal Soberano

Os deputados Tony Medeiros (PSD) e Ângelus Figueira (DC) apresentaram Projetos de Lei (PLs) voltados à regulamentação de prazos e concessão de licenças ambientais no Estado. As proposituras constam na Pauta de Tramitação Ordinária, desta quinta-feira (9), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

Continua depois da Publicidade

O licenciamento ambiental é importante e necessário por ser um instrumento que prevê condições para o estabelecimento de empreendimentos e atividades, de forma a tentar eliminar, quando possível, ou minimizar danos ao meio ambiente e, ao mesmo tempo, garantir o desenvolvimento social e econômico da região. Atento a essa importância, o deputado Tony Medeiros apresentou o PL nº 420/2021, propondo prazos para análise e decisão quanto à concessão ou renovação de licenciamento ambiental.

Segundo o PL, o prazo de licença para solicitação de atividade com potencial poluidor/degradador: Pequeno, 90 dias; Médio, 150 dias; Grande, 180 dias. O parlamentar afirma ser preciso regulamentar os prazos para assegurar celeridade processual aos atos administrativos relacionados ao licenciamento ambiental.

Já o PL nº 425/2021, de iniciativa do deputado Ângelus Figueira, propõe a mudança no Art. 1º da Lei nº 5.422/2021, buscando ampliar o alcance social da referida Lei sobre a concessão de crédito e dispensa de licenciamento ambiental para as atividades agropecuárias e de aquiculturas, enquanto vigorar o estado de calamidade pública na saúde estadual.

Continua depois da Publicidade

O texto destaca que as atividades agropecuárias e de aquiculturas beneficiadas serão aquelas classificadas pela Portaria nº 88 de 11 de maio de 2020, do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), como de pequeno potencial degradador e exercidas por agricultores familiares.

Ampliar o alcance da excepcionalidade não causará dano ambiental, destacou o parlamentar, explicando que as atividades serão realizadas em áreas já consolidadas. “Trata-se, portanto, de proposta ambientalmente responsável e com alcance social imensurável”, declarou Figueira.

Continua depois da Publicidade

*Com informações da assessoria de imprensa

Lintas Serayu