Menezes é cobrado após dizer que confia e ‘põe o corpo todo no fogo’ pelo resguardo da ZFM na gestão de Bolsonaro

Isso porque dois anos depois de sua declaração o governo Bolsonaro decretou redução do IPI, medida que é vista como golpe fatal contra a ZFM.

Portal Soberano

O ex-superintendente da Suframa, Coronel Alfredo Menezes, que é pré-candidato ao senado, está sendo cobrado nas redes sociais por declaração dita em uma entrevista de 2019 em que disse se colocar no fogo pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) por ter total confiança e acredita que a Zona Franca de Manaus (ZFM) não seria afetada na gestão do mandatário.

Continua depois da Publicidade

“Eu vou pra Sadraque, Mesaque e Abede-Nego na Bíblia, eu ponho meu corpo todo no fogo. E desafio esses que estão dizendo que não a daqui a quatro anos ver se teve algum impacto na nossa região em relação a isso”, respondeu ele fazendo referencia a história bíblica em que três jovem são lançados ao fogo por se negarem a adorar uma imagem de ouro.

Para surpresa de Menezes dois anos depois de sua declaração governo federal publicou decreto que reduz as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em 25%, medida que prejudica o Polo Industrial de Manaus (PIM) e muitos falam até em golpe fatal contra a indústria do estado. O decreto contradiz tudo o que havia sido sinalizado pelo próprio governo federal em tratativas anteriores.