Comissão de Água e Saneamento debate cobrança da taxa de esgoto e tarifa social em Manaus

A taxa de esgoto teve um aumento significativo, saindo de 15% para 26%.

Portal Soberano

O vereador Peixoto (PTC), membro titular da Comissão de Água e Saneamento da Câmara Municipal de Manaus (CMM), participou nesta quarta-feira (15/9), de reunião extraordinária solicitada pelo presidente da comissão, vereador Sandro Maia (DEM), onde foi definida a convocação da concessionária Águas de Manaus e a Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (AGEMAN).

Continua depois da Publicidade

No encontro também foi pleiteado a diminuição urgente da taxa de esgoto que teve um aumento significativo, saindo de 15% para 26%. Estiveram presentes também na reunião os vereadores Márcio Tavares (Republicanos) e Thaysa Lippy (Progressistas).

“Nós entendemos que é fundamental conversar sobre esses assuntos com a Águas de Manaus e a Ageman, inclusive sobre esse reajuste de quase 100% da taxa de esgoto. A empresa, em algumas áreas da cidade, não fez nenhum dos investimentos que eram necessários. Esses, foram feitos pelo governo do Estado”, destacou o parlamentar.

Peixoto criticou o posicionamento da concessionária de água quanto ao reajuste da taxa de esgoto na cidade. “Não me parece razoável que a empresa Águas de Manaus reajuste essa taxa de esgoto, sem que a mesma não tenha realizado nenhum investimento. Além disso, a tarifa social também precisa ser discutida, pois temos comunidades que foram enquadradas nessa tarifa, no entanto, as contas que estão chegando para esses moradores são na ordem de R$ 400 a R$1.200, como registrado na comunidade das Garças, no bairro Novo Aleixo, zona Norte da capital”.

Continua depois da Publicidade

Outro ponto debatido na reunião foi o super endividamento das pessoas por parte da empresa, sendo inviável, portanto, o reajuste aplicado, uma vez que a população manauara hoje se encontra em meio a uma crise sanitária causada pela pandemia do novo coronavírus, que contribuiu para o aumento da taxa de desemprego e a queda da renda familiar.

O vereador salientou que a cobrança da taxa inviabiliza a população carente na conscientização pró-preservação das nascentes dos igarapés. Ao final da reunião a Comissão definiu que o encontro deve acontecer no próximo dia 26 com representantes da empresa Águas de Manaus e da Ageman.

Continua depois da Publicidade

“Lembro que estou me colocando como operador de todas essas questões e reitero que o assunto precisa ser tratado no âmbito da Comissão de Água e Saneamento e da própria Câmara Municipal”, finalizou o vereador Peixoto.

*Com informações da assessoria de imprensa

Continua depois da Publicidade