Deputado propõe audiência pública para discutir aumento de garimpos no interior do AM

A data da audiência pública ainda não foi marcada, porém deve acontecer nos próximos meses, na Aleam.

Portal Soberano

O aumento do número de garimpos na região do rio Madeira, próximo ao município de Jutaí, no interior do Amazonas, bem como a poluição ambiental e a extração ilegal de metais preciosos, são alguns dos assuntos discutidos na audiência pública organizada pela Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do Amazonas.

Continua depois da Publicidade

O surgimento de garimpos no interior do Estado foi discutido hoje (31/08) pelo deputado Fausto Jr, na tribuna da Aleam. O parlamentar é presidente da Comissão de Meio Ambiente e disse que está preparando uma audiência pública para discutir o problema junto às prefeituras e órgãos ambientais.

O deputado citou a reportagem do programa Fantástico, veiculada no último domingo (28), que mostrou a degradação ambiental provocada pelos garimpos clandestinos.

“Os garimpos estão se espalhando pelo interior do Amazonas, levando impactos irreversíveis ao meio ambiente”, afirmou o deputado.

Continua depois da Publicidade

Fausto fez questão de diferenciar a atuação dos garimpos clandestinos e os legalizados. “Enquanto os legalizados se preocupam com a recuperação dos locais de extração mineral, os garimpos clandestinos deixam um rastro de destruição por onde passam”, comparou.

O deputado relatou outros problemas relacionados aos garimpos clandestinos, como o trabalho análogo à escravidão e o contrabando de metais e pedras preciosas.

Continua depois da Publicidade

“Todos os dias, toneladas de ouro saem do Amazonas, de forma clandestina, sem pagar impostos ou gerar desenvolvimento para o interior”, denunciou o deputado.

Para tornar a audiência pública mais produtiva, Fausto Jr. disse que convidará representantes de órgãos ambientais do Amazonas, do governo Federal e das prefeituras.

Continua depois da Publicidade

Também serão ouvidos os moradores das comunidades ribeirinhas onde funcionam os garimpos. Objetivo é conhecer como andam as atividades de extração mineral nas localidades mais distantes do Estado e, dessa forma, buscar soluções práticas para o problema da degradação ambiental.

“Temos que encontrar soluções para o funcionamento sustentável dos garimpos, de forma legalizada e comprometida com o desenvolvimento dos municípios”, propõe Fausto.

A data da audiência pública ainda não foi marcada, porém deve acontecer nos próximos meses, na Assembleia Legislativa do Amazonas.

*Com informações da assessoria de imprensa