Vereador volta a pedir reabertura de eventos de médio porte para vacinados contra covid em Manaus

William Alemão tomou como base, os números oficiais da pandemia e a queda nos casos de pessoas acometidas pela doença.

Portal Soberano

Doze dias após presidir uma audiência pública cujo objetivo foi discutir estratégias para alavancar comércio, turismo e eventos, a partir da retomada imediata e por completo das referidas atividades, o vereador William Alemão (Cidadania) voltou a se pronunciar sobre o assunto, nesta terça-feira (17/8), na Câmara Municipal de Manaus (CMM). O parlamentar defendeu que o Governo do Amazonas reabra os eventos de médio porte, sem restrições, para ao menos 12 mil pessoas, de um universo de 400 mil (em média) de cidadãos e cidadãs, que costumam sair à noite para se divertir e que tenham tomado as duas doses da vacina contra a covid-19.

Continua depois da Publicidade

Alemão chegou a dar como exemplo de que tal medida pode ser benéfica tanto para os empresários quanto para os trabalhadores que atuam no setor, a decisão do governo paulista de liberar a partir desta terça-feira, as atividades com controle de público, desde que não gerem aglomerações e sigam os protocolos de saúde e higiene.

“De 400 mil pessoas, a média dos que saem à noite, que têm uma vida noturna é de 3% da população. Já estaríamos falando de 12 mil pessoas aptas a sair e se divertir, estando imunizadas e em momento algum, aumentando essa proliferação do vírus”, explicou. “Quero parabenizar o governo de São Paulo pela liberação das restrições de funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e afins. Aqui, o setor todo aguarda com muita esperança que o governador (Wilson Lima) enxergue e siga essa diretriz”, acrescentou.

William Alemão tomou como base, os números oficiais da pandemia e a queda nos casos de pessoas acometidas pela doença.

Continua depois da Publicidade

“Quando vamos fazer o levantamento de casos, de população e de mortes, observamos que nos últimos 30 dias, Manaus teve 196 óbitos e 13.630 casos, enquanto São Paulo obteve 8 mil óbitos e 143 mil casos. E, a grosso modo, Manaus é 10% do tamanho de casos e de mortes em relação a São Paulo, e aqui a gente ainda está longe de enxergar essa reabertura”, comparou.

O vereador solicitou que a liderança do governo na casa legislativa CMM leve novamente a proposta de reabertura, a começar pelos eventos de médio porte, mas com a obrigatoriedade de que o empresário faça o controle de todos que têm a vacina, na própria entrada do estabelecimento.

Continua depois da Publicidade

“Ou confiamos na vacina ou paramos logo com isso. Estamos vacinando desde janeiro e precisamos dar importância ao trabalho feito, que resultou nesses números, na queda significativa o tempo todo de casos, mesmo com variantes. Mesmo assim, não temos a flexibilidade que a categoria merece, continuamos sendo a capital do desemprego”, disparou Alemão.

O parlamentar ratificou o diálogo que tem mantido com micro e pequenos empresários, além de membros de entidades como a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/AM), com a finalidade de combater as festas clandestinas, promover a normalização dos eventos e a reabertura total de restaurantes e bares, para aqueles que trabalham dentro da legalidade.

Continua depois da Publicidade

Ele voltou a lembrar a realidade que tem provocado a quebra (fechamento) de muitos estabelecimentos, serviços e uma grande perda de vidas, para reforçar a continuidade na busca de alternativas com vistas à recuperação da economia local.

“Mais uma vez eu peço: governador, olhe para essa categoria, porque as dívidas não param”, observou.

Tributos

Alemão até fez referência à carga de tributos pagos pela categoria e que já deixou muitos “enquadrados”, diante do Simples Nacional, que é o regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos aplicável às microempresas e empresas de pequeno porte.

“Todo empresário recebeu essa semana, o acumulado do ano passado, já entrando na dívida da União. E aí, como é que você explica que não tem como pagar, por que não está trabalhando? Não explica, porque não tem negociação para refazer financiamentos e porque todo mundo já refez, acreditando que em setembro melhoraria. Reabriu setembro, fechou janeiro e continua a mesma coisa, com muita gente desempregada”, lamentou o vereador.

Mensagens

Alemão informou que tem recebido mensagens diárias de pessoas interessadas no retorno das atividades.

“Eu vim da categoria. Recebo mensagens do tipo: vai até que horas? E respondo até 23h30, meia-noite não pode ter mais ninguém. E aí, eles insistem: você pode me indicar um local que continue? Porque é notório: Manaus inteira está funcionando em ritmo acelerado nos eventos, o clandestino está direto. Pune-se o evento todo por causa de meia dúzia que tem cometido crime. É que nem você culpar toda a rede de postos de gasolina, se apenas um adulterou o combustível. Que é isso, gente!”, criticou.

Apelo

O pronunciamento foi encerrado com mais um apelo.“Temos total consciência de que aglomeração sem vacinação, hoje já é uma realidade para Manaus inteira. Liberar evento para quem já está 100% vacinado, serve até mesmo para aqueles furões que não estão indo tomar a segunda dose. Serve como incentivo, pois no momento que ele quiser ir a um evento, vai dizer: poxa, por que que eu não tomei a segunda dose? E lá vai ele correr para tomar a segunda dose. É uma cadeia de fatores que acaba se ajudando. Precisa reabrir, para a gente começar a ajudar o governo nesse sentido também. E, por favor senhor governador, confie nos empresários donos de casas de show, mantenha eles fazendo essa fiscalização na porta, porque dono de casa de show não é marginal, mas sim, aquele que faz evento clandestino”, finalizou William Alemão.

*Com informações da assessoria de imprensa