Quatro deputados do Amazonas votam contra a PEC do voto impresso

Os parlamentares foram duramente criticados nas redes sociais.

Portal Soberano

Na noite desta terça-feira (10), foi votada, na Câmara dos Deputados, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19, que torna obrigatório o voto impresso. O projeto foi rejeitado pelo plenário com 229 votos contrários à criação da PEC.

Continua depois da Publicidade

Da bancada do Amazonas, votaram favoráveis a proposta os deputados federais:

Capitão Alberto Neto (Republicanos), Silas Câmara (Republicanos), Delegado Pablo Oliva (PSL) e Átila Lins (PP).

Já os deputados Bosco Saraiva (Solidariedade), José Ricardo (PT), Sidney Leite (PSD) e o vice-presidente da Casa, Marcelo Ramos (PL) votaram contra a PEC do voto impresso.

Continua depois da Publicidade

A PEC será arquivada e o formato atual de votação e apuração deve ser mantido nas eleições de 2022.

Nas redes sociais os parlamentares que votaram contra a proposta foram criticados e internautas prometeram não esquecer da ação dos parlamentares no próximo pleito.

Continua depois da Publicidade

“Os bolsominions estão com delay. Ainda estão mandando mensagens pra votar pelo tal de voto impresso. Alguém avisa eles, ou eu aviso? GAME OVER!”, escreveu Marcelo Ramos no Twitter.

Nos comentários da publicação seguidores do parlamentar disseram que a postura dele é péssima e que essa atitude será lembrada em 2022 quando ele deve tentar reeleição.

Continua depois da Publicidade

Em postagem em diz trabalhar ‘pelo povo e para o povo’, Bosco Saraiva foi confrontado por um internauta. “Será que é verdade o que diz o deputado? PEC 135 como votou o deputado que trabalha pelo povo em benefício próprio”, escreveu.

Sidney Leite também foi criticado em sua última publicação no Twitter ocorrida no dia 6 de agosto. “Deputado, nós o povo, que colocou o senhor nessa cadeira de deputado federal não esqueceremos o seu voto de ser contra ao voto auditável”, disse uma internauta.

*Com informações do Portal AM Post