Bolsonaro chama Omar Aziz de “Anta Amazônica”

O mandatário também classificou os representantes da cúpula CPI como ‘otário’.

Portal Soberano

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), chamou o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), de “anta amazônica” ao comentar com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada sobre denúncias contra o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, envolvendo a compra de vacinas Coronavac. O mandatário também classificou os representantes da cúpula CPI como ‘otário’.

Continua depois da Publicidade

Na ocasião, Bolsonaro defendeu Pazuello e afirmou que se tinha que comprar a vacina, não importava o preço.

“O que a imprensa fazia naquela época? ‘Tem que comprar vacina, não interessa o preço’. Agora, quem queria comprar vacina, não interessando o preço e sem passar pela Anvisa era o Omar Aziz. Isso está documentado numa emenda que ele apresentou numa medida provisória nossa, sobre vacina, bem como o irmão do Renan Calheiros, o Renildo Calheiros, apresentou uma emenda igualzinha, que estados e municípios podiam comprar vacina sem a certificação da Anvisa e sem licitação”, disparou Bolsonaro.

Durante a fala, o presidente xingou o senador de Anta e disse que Renan Calheiros é irmão do mesmo.

Continua depois da Publicidade

“Imagina se aprova isso, hein, Omar Aziz? Mais conhecido como anta amazônica. Anta amazônica. Imagina se tivesse passado isso? Hein, Renan Calheiros? Teu irmão, Renan Calheiros. PCdoB, partido… Não vou falar o que é o C, né. C do Brasil. Estariam alguns prefeitos e governadores comprando vacina a R$ 30 ou R$ 50 a dose, pode vacina até da Lua, porque não precisava passar pela Anvisa”, alegou.

Bolsonaro disse ainda que as denúncias contra o general não se sustentam. O presidente alegou que também conversa com empresários diariamente, referindo-se a um vídeo em que Pazuello negocia a vacina Coronavac com intermediários. “Se é crime, eu sou criminoso”, justificou.

Continua depois da Publicidade

“Tem essa CPI dos três patetas, três patetas não. CPI dos três otários tenta de toda maneira colar, Ah, mas o Pazuello conversou com empresário. Pô, se tivesse tratando de corrupção, pessoal, não ia ter vídeo, meu Deus do céu. Seria num porão ou seria num canto qualquer. O tempo todo tentando, “Ah, mas ele pensou em se corromper”. Sabe o que estou pensando sobre você? Alguém sabe? Agora inventaram a corrupção por pensamento. Aqui em Brasília é capital federal, vem todo tipo de gente para fazer lobby. E você pode ver essa última narrativa agora, “Mas Pazuello conversou com empresário”. Eu converso quase todo dia com empresário. Se é crime, eu sou criminoso”, concluiu.

* Leia mais no Portal AM POST

Continua depois da Publicidade