Escola estadual bilíngue celebra 113 anos da imigração japonesa no Brasil

Evento traz os principais fatos que marcaram a imigração desde o ano de 1908.

Portal Soberano

A imigração japonesa no Brasil completou, em 2021, 113 anos e para celebrar a data, a Escola Estadual de Tempo Integral (EETI) Bilíngue Djalma da Cunha Batista, unidade pública que oferece ensino bilíngue Português-Japonês, realizou, na quarta-feira (07/07), uma exposição dos fatos que marcaram a imigração japonesa no País.

Continua depois da Publicidade

Com a presença do cônsul-geral do Japão, Masahiro Ogino, os estudantes apresentaram, numa linha do tempo, a chegada da imigração desde o ano de 1908, quando, do navio Kasato Maru, desembarcaram os 781 primeiros imigrantes vinculados ao acordo imigratório estabelecido entre Brasil e Japão, além de 12 passageiros independentes.

De acordo com a gestora da escola, professora Jessica Pacheco, a exposição conta com estandes temáticos contando a história da imigração japonesa, apresentada pelos estudantes de forma dinâmica.

“Como a escola é a primeira unidade pública do País a oferecer ensino bilíngue Português e Japonês, trabalhamos com diversas atividades ao longo do ano. Temos um calendário onde, mensalmente, realizamos iniciativas como esta, que tratam da história e da cultura japonesa”, destacou a gestora.

Continua depois da Publicidade

O coordenador distrital de Educação da CDE 1, professor Orlando Moura, reafirma a importância de recuperar e relembrar a história.  “Para nós, é importante que existam tais manifestações que demonstram e contem um pouco da história japonesa até chegar aos dias atuais”, explica.

Escola bilíngue – Tradicional escola amazonense, inaugurada em 1980, a Escola Estadual Djalma Batista foi revitalizada pelo Governo do Amazonas e, a partir de 2016, passou a contar com o ensino bilíngue.

Continua depois da Publicidade

O projeto é desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Desporto, em parceria institucional com o Consulado Geral do Japão em Manaus, a Associação Nipo-Brasileira da Amazônia Ocidental (Nipaku) e a Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Atualmente, a unidade atende a aproximadamente mil estudantes, oferecendo a modalidade de Tempo Integral em Ensino Fundamental, do 6º ao 9º ano.

Continua depois da Publicidade

*Com informações da assessoria de imprensa