Deputado Wilker Barreto pede que Governo do AM pague o adicional de periculosidade e vale-alimentação dos técnicos de enfermagem

O parlamentar voltou a solicitar explicações da cúpula da SES-AM. Por meio de convite protocolado na Aleam, os gestores terão que apresentar estratégias para o pagamento dos funcionários.

Foto: Divulgação

 

Portal Soberano

Continua depois da Publicidade

O não pagamento dos direitos trabalhistas e auxílios, como adicional de periculosidade e vale-alimentação, dos quatro mil técnicos de enfermagem contratados em Regime de Direito Administrativo (RDA), pelo Governo do Amazonas, voltou a ser pauta na sessão extraordinária compensatória da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). O tema foi levado à tribuna da Casa, na manhã desta segunda-feira (19), pelo deputado estadual Wilker Barreto (Podemos).

Há pouco mais de um ano e quatro meses sem receberem os benefícios ou qualquer previsão para o pagamento, os técnicos RDAs já não encontram soluções por parte do Executivo Estadual. Na última reunião realizada na sexta-feira (16), na sede da Secretaria de Saúde do Amazonas (SES-AM), com a presença do sindicato dos Trabalhadores em Santas Casas, Entidades Filantrópicas e Religiosas e Estabelecimentos de Saúde do Estado do Amazonas (Sindpriv-AM), os profissionais saíram novamente sem previsão do recebimento.

“É inadmissível que um técnico de enfermagem não receba a periculosidade, o risco de vida da função de quem está cuidando da Covid e o vale-alimentação. São dois direitos elementares. São quatro mil técnicos de enfermagem contratados diretamente pelo governo. São quase 800 reais que fazem falta no salário de um trabalhador”, afirmou Barreto.

Continua depois da Publicidade

O parlamentar voltou a solicitar explicações da cúpula da SES-AM. Por meio de convite protocolado na Aleam, os gestores terão que apresentar estratégias para o pagamento dos funcionários.

“O técnico e o enfermeiro são os que carregam o piano. O médico é importante, ele prescreve a medicação, e quem toca o barco ao longo do dia são os técnicos e os enfermeiros. Convidei o secretário de Saúde para expor a questão dos pagamentos dos profissionais RDAs e dos estatutários. Quero que ele leve esse assunto formalmente para o governador, o mesmo governador que escreve e não cumpre. Não cumpre o auxílio fardamento da PM, não cumpre as promoções e não cumpre o direito dos técnicos contratados por ele mesmo”, declarou.

Continua depois da Publicidade

 

*Com informações da assessoria de imprensa.

Continua depois da Publicidade